Notícias

Violência contra o idoso

Veja o que você precisa saber
Data de inclusão: 28/09/2018 14:37

Ao chegar a Terceira Idade, o idoso tem a possibilidade de aproveitar melhor a vida, uma fase que poderá ter mais tempo para viver de uma forma saudável e feliz, mas para isso precisa estar atento para não ser vítima de golpes e de violência.

Atualmente, o Brasil tem aproximadamente 20 milhões de pessoas com mais de 60 anos. De acordo com o IBGE, este número deverá triplicar até 2050. No Brasil a participação da terceira idade pulou de 11% para 16% na última década. 

Nos dias atuais o idoso tem uma perspectiva maior de renda com facilidades de acesso ao crédito. Diante desta nova realidade e no intuito de proteger a pessoa idosa foi instaurado a Política Nacional de Saúde, visando um envelhecimento ativo e saudável, evitando à violência doméstica e institucional contra a pessoa idosa.

 

Saiba mais sobre os tipos de violência

A Organização Mundial de Saúde estabelece que agressões podem ser:

Físicas - Ato violento com uso de força física (empurrões, tapas, socos ou armas) de forma intencional, não acidental, com o objetivo claro de ferir ou lesar uma pessoa, podendo ou não provocar a morte.

 

Negligência ou abandono - Omissão por parte de familiares ou instituições responsáveis por cuidados básicos para o desenvolvimento físico, emocional e social. Privação de medicamentos, higiene, saúde e abandono.

 

Sexual - Quando uma pessoa faz uso da força física, intimidação ou influência psicológica, exigindo que outra pessoa a participar ou presenciar

 

Autoagressão/autonegligência - Se aplica quando o idoso ameaça a própria saúde ou segurança. Tentativas de suicídio, recusa dos cuidados básicos da saúde ou higiene.

 

Psicológica - Menosprezo, desprezo, preconceito e discriminação, são caracterizados como abusos psicológicos. Agressões verbais que tenham como fim, aterrorizar, humilhar e restringir a liberdade da pessoa idosa.

 

Econômico-financeira e patrimonial - As práticas mais comuns de abusos contra o idoso são ligadas a renda. A Secretaria de Previdência Social afirma que em 2017 foram registradas 1.222 denúncias, contra 947 do ano anterior. Confira os principais golpes, para não ser enganado.

 

 Compra equivocada

O aposentado recebe uma ligação ou mensagem pelo celular. Os golpistas se passam por funcionários de bancos e afirmam que uma compra foi realizada com o cartão de crédito da vítima.

Para “resolver” o entrave são solicitados dados pessoais (CPF, número do cartão e código de segurança). Com a obtenção destas informações, podem ser realizadas compras com o cartão de crédito deliberadamente. Nunca passe dados por telefone. Caso tenha dúvidas ligue para os números presentes no verso do cartão, ou se dirija a agência bancária onde possui conta. 

 

Processo judicial

A vítima recebe correspondência dizendo que é beneficiária de herança ou imóvel. Para ter acesso aos bens é necessário pagar os honorários do advogado antecipadamente. Caso tenha dúvidas procure saber do que se trata. A dica é acessar o site do Tribunal de Justiça, realizando buscas para descobrir se a causa realmente existe.

 

Bilhete premiado

Um dos golpes mais praticados. Com aparência humilde o meliante aborda a vítima geralmente sozinha, dizendo que ganhou na loteria e não sabe como retirar o prémio ou encontrar o local. Com forte poder de convencimento oferece para o aposentado parte do prêmio.

Para tal exige que a vítima saque dinheiro. Após conseguir a pessoa simula um mal súbito, e que precisa procurar uma farmácia ou comprar água e some. A dica é não confiar em estranhos. O golpe é praticado nas saídas de banco, quando o aposentado recebe seus benefícios.

 

Internet

Golpistas apostam na falta de conhecimento de idosos com celulares e computadores. Assim enviam e-mails ou mensagens de texto (SMS) ou pelo Whatsapp, informando que a vítima ganhou algum prêmio, solicitando dados pessoais. Desconfie.

Evite acessar sites de compras pouco conhecidos ou com mercadorias, com valores muito abaixo do praticado em outras lojas.

 

Caixa eletrônico

Outro golpe bem conhecido e que ainda faz muitas vítimas. O aposentado apresenta dificuldades no manuseio do caixa eletrônico. Neste momento um desconhecido muito solícito oferece ajuda, roubando os dados do cartão como senha e número de segurança. Quando tiver dúvidas procure funcionários do banco.

Fonte: Blog da Previdência

 

O que o idoso deve fazer ao sentir-se ameaçado

O município de Navegantes conta com o Centro de Referência Especializado De Assistência Social - CREAS. Os profissionais do CREAS oferecem um acompanhamento especializado para o idoso.

Para o coordenador Aldrin Duarte, o idoso que estiver sendo ameaçado, deve fazer a denúncia através do telefone 181 da polícia civil ou se dirigir a delegacia. “Após feito o boletim de ocorrência, o delegado ou o ministério público encaminha o idoso para o CREAS que o acompanhará e realizará o melhor atendimento. Dependendo da gravidade do caso, o idoso receberá as orientações de advogados e da nossa equipe de assistentes sociais,” explica.

O CREAS está localizado na Avenida Santos Dumont, 132, Centro. O horário de atendimento é das 8h às 12h e das 13 às 17h, o telefone é 3185-2012.

Imagens relacionadas

Violência contra o idoso